• 18 de novembro de 2022

SC atualiza plano de contingência para enfrentar dengue, zika e chikungunya

O Plano de contingência para o enfrentamento da dengue, zika e chikungunya foi atualizado pela Secretaria de Saúde de Santa Catarina. A revisão – que ocorre anualmente – levou em consideração a alta transmissão da dengue neste ano. Pelo plano, foram definidos três níveis de alerta, cada um com ações específicas para enfrentar a situação.

João Augusto Brancher Fuck, responsável pela Dive (Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina), destacou que o plano visa organizar as ações em nível estadual, para permitir uma resposta coordenada diante do aumento de casos. As ações devem ser, principalmente, de vigilância dos casos, assistência aos pacientes, controle vetorial e comunicação de risco.

Fuck também observou que o plano visa instrumentalizar uma resposta diante da possibilidade de aumento ainda maior de casos no estado, o que pode ocorrer devido a proximidade com o verão.

Segundo ele, os casos das doenças, geralmente, se intensificam durante os meses de maior calor. Contudo, em 2022, os casos de dengue ocorreram o ano todo em Santa Catarina.

O Plano de Contingência

Pelo plano haverá três níveis de alerta, que levarão em consideração a incidência de casos das doenças. Eles serão crescentes e conforme se atinja o próximo nível atenção, o Estado deve tomar novas ações no enfrentamento.

Conforme a pasta, o objetivo é de conter a disseminação da doença e mesmo evitar casos graves e óbitos.

Três etapas de alerta:

Nível 1:

  •   Quando a taxa de incidência de casos de dengue permanece em ascensão por duas semanas consecutivas, acima 50 casos/100 mil habitantes por semana epidemiológica de início dos sintomas – atinge duas Regiões de Saúde.
  • Aumento na taxa de incidência de casos autóctones de Chikungunya e Zika, em comparação com o ano anterior.

Nível 2:

  • A taxa de incidência da dengue permanece em ascensão por quatro semanas consecutivas, acima 50 casos/100 mil habitantes por semana epidemiológica, e afetam quatro regiões de saúde.
  • Já para chikungunya e zika,  ultrapassa a taxa de incidência do mesmo período do ano anterior.

Nível 3:

  • taxa de incidência de dengue ultrapassa o limite superior do canal endêmico e ou ainda existem óbitos confirmados para dengue.
  • Para chikungunya e zika, há aumento da incidência por quatro semanas consecutivas e óbito confirmado. Para Zika, considera-se também o aumento de positividade em gestantes.

Conforme a Dive, apesar da importância das ações públicas para combater o mosquito causador das doenças, a população também tem um papel importante.

No próximo sábado (19), será realizado o Dia Estadual de Mobilização contra o Aedes aegypti. O objetivo é e alertar a população sobre a importância de eliminar os possíveis criadouros do mosquito.

Situação em SC

Em Santa Catarina, 233 municípios registraram a presença do mosquito neste ano. Ao todo, 134 são considerados infestados, o que aumenta o risco de transmissão dessas doenças.

Neste ano, o estado registrou um numero expressivo de casos de dengue. Foram confirmadas pelo menos 90 mortes por causa da doença. Em 2021 teve sete óbitos.

Fonte: Rádio Videira

Fique ligado nos conteúdos!

Receba atualizações, dicas, artigos e conteúdos especiais com prioridade!

Anuncie sua Empresa

Contrate uma assinatura e publique um selo para anúncio*