• 24 de agosto de 2021

E-commerce x Marketplace

O e-commerce é uma importante plataforma de vendas online que vem ganhando cada vez mais adeptos por aí, sobretudo em situação de pandemia. O ambiente virtual tem se apresentado como uma excelente oportunidade para quem deseja manter suas vendas e até mesmo expandi-las, pois, as possibilidades de visibilidade e alcance do público desejado se multiplicam. Neste sentido, o e-commerce alcançou uma expressiva popularidade nos últimos anos.

Mas, afinal, o que é um e-commerce? Na tradução, significa comércio eletrônico. Trata-se de uma modalidade de comércio onde os negócios e transações financeiras são realizadas via dispositivos e plataformas eletrônicas, como computadores, tablets e smartphones. Nele, vende-se itens de todo o tipo: eletrônicos, vestuário e alimentos, por exemplo.

Segundo relatório divulgado semanas atrás pela Neotrust, uma empresa muito conceituada na disponibilização de dados do setor varejista do Brasil, entre janeiro e março de 2021 o e-commerce movimentou mais de R$ 35 bilhões e registrou um aumento de 72% na comparação com o mesmo período de 2020. Além disso, o ticket médio das compras atingiu R$ 447,90 e o mês de março de 2021 foi apontado como o melhor mês da história do comércio eletrônico brasileiro em volume de vendas.

No entanto, apesar das oportunidades que o e-commerce apresenta, existem outras formas de vender e comprar online que também se mostram muito vantajosas. Uma alternativa são os marketplaces, ou seja, lojas virtuais que disponibilizam seu espaço e estrutura para que outros vendedores possam comercializar seus produtos. Como exemplo temos as Lojas Americanas, a Amazon, a Magalu e o Mercado Livre que se destacam como os grandes players do setor. Até o Brechó Videira, famoso grupo de compra e venda pelo Facebook da região, pode ser considerado um marketplace. Aposto que você já comprou, vendeu ou pediu recomendações de prestação de serviço no Brechó.

Para quem vende, o marketplace caracteriza-se por não precisar investir tanto em publicidade, pois o alcance da plataforma que hospeda os comerciantes, como o Mercado Livre, gera essa oportunidade de visibilidade. Ou seja, ao aproveitar um espaço já existente o vendedor pode conseguir com que o cliente que ali se transita efetue a compra. Para o consumidor, o marketplace permite, através de uma busca pela internet, identificar as lojas com as melhores avaliações, preços e prazos de pagamento, tendo mais liberdade para escolher onde comprar com mais qualidade e preço justo.

Nesse domingo, dia 08, comemora-se o Dia dos Pais. Para o setor de vendas, o Dia dos Pais é a terceira data comemorativa mais lucrativa no Brasil, ficando atrás do Natal e do Dia das Mães. A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina (Fecomércio SC) realizou no último mês uma pesquisa sobre a intenção de compra no estado para o Dia dos Pais. O relatório aponta que, em média, o catarinense está disposto a gastar R$ 164,19, superando em quase 5% a intenção de compra de 2020; celulares, artigos automotivos e eletroeletrônicos são os itens mais procurados para presentear os pais.

Mas, com ou sem presente, o Dia dos Pais continua sendo uma oportunidade única para que pais e filhos estejam mais próximos. Acredito que é uma dádiva ter um pai presente, vivo e com saúde, sobretudo no momento em que vivemos. E, na condição de pai, é indescritível a sensação de poder estar por perto e ver os filhos crescerem e se desenvolverem. Não há nada melhor. Desejo um excelente Dia dos Pais para todos os papais, vovôs, tios, dindos, enfim, todos que de uma forma ou de outra estão sempre por perto dando bons exemplos e encaminhando nossos pequenos para a vida.

Por Leandro Hupalo

Fique ligado nos conteúdos!

Receba atualizações, dicas, artigos e conteúdos especiais com prioridade!

Anuncie sua Empresa

Contrate uma assinatura e publique um selo para anúncio*