• 9 de janeiro de 2022

Curso para manutenção de aeronaves de SC ganha relevância nacional

O curso de manutenção de aeronaves, promovido pelo Senai (Serviço Nacional de Aprendizado Industrial), em Palhoça, na Grande Florianópolis, recebeu, em 2021, o certificado de aspecto estratégico da escola, do Ministério da Defesa, que concedeu, ainda, o selo de Empresa Estratégica de Defesa.

O curso nasceu há 12 anos, a partir da avaliação feita em 2009, pela Anac (Agência Nacional de Avião Civil) de que haveria falta de mão de obra para atender a manutenção de aeronaves em um futuro próximo.

A cidade de Palhoça foi escolhida como sede de mais uma unidade do Senai e do curso de mecânico de aeronaves devido ao crescimento econômico, que fez com que a população dobrasse de 1990 para 2021, passando de quase 100 mil habitantes para mais de 175 mil, como explica o supervisor de cursos da unidade do Senai de Palhoça, Carlos Augusto Zoletti. “O parque industrial ampliou e aumentou a demanda por mão de obra com qualificação profissional”, avalia ele.

O salário inicial de um mecânico de aeronaves é R$ 2.400,00, em média. O profissional é muito procurado por grandes empresas aéreas, e por aquelas que operam na manutenção de aeronaves ou no ramo de táxi aéreo com aviões ou helicópteros e, também, pela aviação particular ligada a diversas áreas, como o transporte de executivos, instrução de aviação e a agricultura.

Exclusividade com as Forças Armadas

Instrutor da unidade do Senai de Palhoça, Rafael de Borba afirma que a escola está se tornando referência nacional e internacional e recebeu, no ano passado, delegações da Rússia e do Paraguai para treinamento de técnicos.

“Isso mostra a importância, a capacidade que o nosso corpo técnico de especialistas tem. Isso tudo vai chegando ao público, às empresas, aos órgãos de forma geral, então isso é fantástico”, comenta.

Ele ressalta que o reconhecimento da escola por parte da Anac e do Ministério da Defesa como estratégica para a defesa do país dá ao Senai local “ a possibilidade de oferecer treinamentos para as Forças Armadas com exclusividade”.

Além do Senai Palhoça, possuem esse selo, na Grande Florianópolis, a Olsen Indústria (Palhoça) e a Digitro (São José), mas ambas oferecem serviços distintos.

Uma empresa é reconhecida pelo Ministério da Defesa como estratégica de defesa quando dispõe de conhecimento e tecnologias essenciais para a manutenção da soberania nacional.

Formação de aviônicos

Com cerca de 500 alunos já formados desde 2009, e empregados em companhias aéreas, como a Latan, Azul e Gol, e em empresas de manutenção de aviões e de helicóptero, a exemplo da Helisul, o curso passou a ser referência na formação de mão-de-obra e no treinamento de técnicos de outros países e de várias empresas e governos estaduais, segundo Carlos Augusto Zoletti.

“Nós fazemos atendimentos no local para órgãos públicos e empresas. Após o contato, verificamos as necessidades e fazemos a proposta. Geralmente empresas e órgãos públicos nos procuram para capacitar as suas equipes técnicas ou engenheiros da contratante”, lembra.

Zoletti explica que na área de mecânica aeronáutica há três habilitações, com um ano de formação básica e o segundo ano é o especializado.

“Aviônicos é o pessoal que trabalha com os componentes eletroeletrônicos; existe uma habilitação chamada Célula, que é a parte estrutural da aeronave e uma terceira habilitação é o GMP (Grupo Motopropulsor), onde é formado o profissional que vai desempenhar suas atividades nos motores das aeronaves”.

É dada ao aluno a opção de após se formar em uma das especialidades cursar as demais, com um ano de aprendizado para cada uma das modalidades oferecidas. Ao término, o aluno vai para o mercado habilitado como mecânico de aeronaves, o que faculta a ele prestar concursos públicos que exijam a formação de um curso técnico. “É um diferencial nosso”, conclui o supervisor.

No ano passado, a Fiesc (Federação das Indústrias de Santa Catarina) firmou convênio com o IVG (Instituto Vilson Groh), cedendo 100 vagas para jovens em vulnerabilidade social.

Rafael de Borba explica que a turma está em andamento e que o desempenho dos alunos é bom. “A seleção ficou a cargo do pessoal do instituto, em parceria com o departamento de pedagogia do Senai”.

Uma paixão de infância

Em dezembro de 2021, um aluno do curso técnico em manutenção de aeronaves se classificou para representar o Brasil na WorldSkills Competition, ao vencer a Olimpíada do Conhecimento realizada a cada dois anos no Brasil, em que participam alunos e ex-alunos de cursos profissionalizantes.

O WorldSkills é considerado o maior torneio da educação profissional do mundo e será disputada em Shangai, na China entre 12 e 17 de outubro de 2022.

Apaixonado por aviação desde criança, Vitor Borile é piloto formado no Aeroclube de Santa Catarina e técnico em manutenção de aeronaves. Ele se prepara para trazer a medalha de Shangai desde quando soube da competição.

Além da intenção de adquirir conhecimentos, Vitor conta que se dedicou a estudar mais para se classificar para a competição e ter uma bolsa paga pelo Senai que poderia ajudar no pagamento do restante do curso de piloto, que é de somar mais horas de voo, ficando habilitado a trabalhar na aviação comercial.

“Quero ter, acima disso, toda a experiência internacional e o reconhecimento que isso traz. Para mim, isso é o principal”.

Para se preparar para a competição, ele diz que a rotina não vai mudar muito daquela que teve para vencer a fase classificatória.

“Vou continuar treinando de oito a dez horas por dia, mas agora o foco será em coisas que a gente imagina que vai acontecer no mundial, porque as provas são surpresa, mas podemos treinar competências. Serão cinco provas, cada uma com o seu foco, por exemplo, reparo estrutural com alumínio, reparo estrutural com material composto, elétrica… Então nossa rotina vai ser procurar novas experiências e procurar novos parceiros que possam dar cursos para a gente.”

Fonte: ND Mais